316mpcc
Geral

O que fazer para melhorar o som em sua igreja

Um dos maiores desafios que enfrento como Pastor de Programação  é o de encontrar o “som perfeito”. Quando digo “som perfeito” me refiro à habilidade de tentar agradar todos os gostos e preferências que a congregação exige durante o louvor. Se você leitor é operador de som em sua igreja, você já deve ter ouvido algo como:
– “O som estava muito alto hoje.”
– “Eu não ouvi nenhuma palavra que saiu da boca da equipe de louvor, só dava para ouvir a banda”
– “Por que a bateria é tão alta?”
– “Eu preciso mais da minha voz no monitor (alguém da equipe de louvor).”
– “O som esta muito baixo aqui atrás, não dá para ouvir nada que o pastor esta falando.”

Acho que eu trouxe memórias recentes, não é verdade????

Bem, no mínimo temos que reconhecer que talvez estas reclamações possam ser um indicador de que ainda há espaço para melhorar, mas mantenha um coisa em mente, você NUNCA irá agradar a todos. O melhor é saber analisar a situação, manter um boa atitude e humildemente reconhecer as áreas pertinentes ao som que necessitam sua atenção.

MPCCconcert2012Oct1311. Caixas de som
O primeiro diagnóstico que recomendo é fazer uma avaliação do posicionamento das caixas de som. Uma maneira simples de fazer esta avaliação é apenas tocando um CD no sistema, andar pelo auditório e identificar “pontos cegos” onde o volume é menor ou inexistente. Na maioria das vezes o problema poderá ser resolvido fazendo ajustes no ângulo de posicionamento das caixas de som penduradas no teto ou parede. Em alguns casos você terá que adicionar caixas de som para atingir áreas sem cobertura. Um outro fator que contribui (e muito) para som é a acústica do prédio, mas para resolver este problema corretamente vai custar algum dinheiro. Não se preocupe com isto no momento. Se você puder oferecer uma cobertura completa do espaço, será muito mais fácil controlar o som.

2. House-mix
Diferente do que muitos pensam, o house-mix ideal não se dá pelo volume, mas sim pela qualidade do que se ouve. Tenho visto em igrejas pessoas usando músicas tocadas de CD para provar que o sistema de som é bom, mas quando este sistema é usado com uma banda ao vivo não tem a mesma qualidade. E na verdade nunca será a mesma! Com a banda ao vivo você tem que considerar os microfones abertos que captam o som ambiente, a banda que algumas vezes usa amplificadores com microfones e bateria, o que sozinha emite muito som, e no CD estes fatores nunca contam, por isso o som é tão perfeito. Como operador de som, seu primeiro desafio não é de apenas permitir que o som seja propagado pelos auto falantes, mas fazer com que a combinação de instrumentos diferentes e vocalistas façam um som agradável aos ouvidos e sem distração. Geralmente quando as pessoas na igreja reclamam que o som estava muito alto, o que realmente estão dizendo é que estava alto e ruim. Em outras palavras, se você conseguir reproduzir um mix agradável aos ouvidos, você terá mais espaço para aumentar o volume. Em algumas instâncias, o problema tem a ver com cantores e músicos e como eles se comportam no palco durante o louvor. Lembre-se, não é sua responsabilidade corrigir músicos e cantores, este trabalho pertence ao ministro de louvor e suas observações e recomendações devem ser dirigidas a ele em privacidade. É dele o trabalho de analisar a situação e tomar as medidas necessárias com a equipe de louvor.

3. Busque o “som” que reflita a identidade de sua igreja
Muitas vezes, em conversas com técnicos de som de igrejas, ouço referência a outra igreja e como eles gostariam que pudessem reproduzir o som que ouviram em outra igreja. Isso se torna um erro cada vez mais comum. Você sempre tem que considerar primeiro a realidade de sua instalação, equipamento e capacidade técnica dentro de sua igreja. O que funciona em uma igreja, não necessariamente significa que funcionará em sua igreja. Por isso não recomendo ir a shows de concertos, mega-igrejas, e eventos em geral com a mentalidade de ver como as coisas são feitas na esperança que você possa apenas reproduzí-las em sua igreja. Não funciona bem assim e gera muita frustração entre voluntários e liderança.

4. SEMPRE mantenha boa atitude
Este trabalho semanal não é fácil. Você tem que lidar com equipe de louvor requisitando coisas o tempo todo, a congregação com uma lista de opiniões e reclamações e (normalmente) um pastor que não entende nada de som, e por isso pediu a você que liderasse este ministério. Sua atitude refletirá na qualidade do som de sua igreja. Nunca duvide disto! A equipe de som será seu melhor amigo se eles perceberem que você esta lá para ajudá-los no que precisarem. A igreja será sua melhor aliada se ela perceber que você se importa com o que ela pensa, e o pastor será eternamente grato por você ser um servo que ministra com coração mais do que com a (falta da) razão! Atitude correta não só edifica a você próprio, mas aos que estão a sua volta. Não é uma tarefa fácil, mas é possível.

5. Busque auxílio quando necessário
Busque auxílio quando necessário se precisar de ajuda para entender como operar um equipamento novo, ou entender novos procedimentos e tecnologias. Coisas mudam e você precisa acompanhar as mudanças. Em minha recente visita ao Brasil, notei em algumas igrejas que tive oportunidade de visitar que possuem alta qualidade de equipamentos, mas sofrem com a questão de voluntários e operadores servindo sem o treinamento necessário para operar novos equipamentos e consequentemente não estão utilizando o potencial que o equipamento oferece. Mantenha contato com outras igrejas que usam equipamentos semelhantes e “troque figurinhas” quando necessário.

Espero que este texto tenha te ajudado de alguma maneira. Envie suas dúvidas para [email protected]

Sobre o Autor

Joey Santos

4 Comentários

Clique aqui para publicar um comentário

  • Texto bacana, mas apenas um ressalva: compreendo o ponto de vista do autor em relação ao tratamento acústico, quando ele diz “não se preocupe com isso no momento”, contudo, essa deve ser sim uma das primeiras “preocupações” junto com o sistema elétrico. Deve vir antes da eletroacústica! Uma igreja que possui uma acústica ‘pensada’, vai investir menos em caixas e equipos para cobertura, sem contar que aí sim “será muito mas fácil controlar o som” como citado pelo autor.

    Concordo muito com os itens 3 e 5.

  • Na minha igreja o som está sempre desafinado, e nunca se co n segue ouvir bem o que se lá se fala, se conhecer alguém qu é nos possa ajudar agradeço o contacto.

    Manuel Simões.

  • Gostei muito dos pontos falados e como isso realmente afeta em nossas igrejas principalmente quando deixamos de adorar a Deus por causa disso!!! Sinto falta de uma melhor acústica na igreja…

  • ~text?txtsize=33&txt=350%C3%97250&w=350&h=250

Receba nossa Newsletter

Inscreva-se para receber ainda mais conteúdo no seu e-mail!

Threesome